Inicio Notícias Facilitadores de direção: qual escolher?

Facilitadores de direção: qual escolher?

Facilitadores de direção: qual escolher?
2
0


Recursos que estão mudando a história do automóvel

Há alguns anos, as facilidades que simplificavam a vida do motorista eram poucas: câmbio automático, direção hidráulica e sensor de estacionamento. Era muito mais fácil saber onde aplicar o dinheiro quando o orçamento estava apertado. O tempo passou e os sensores e câmeras trouxeram novidades que estão transformando a forma de dirigir e são decisivas na hora de escolher qual carro levar para casa.

Sistema de baliza automática, câmera 360º, alerta de mudança de faixa, sensor de fadiga, frenagem automática de emergência, sensor de ponto cego são algumas das opções. Mas o que vai determinar no que vale a pena investir é o seu modo de condução.

A dupla Chevrolet Onix e Hyundai HB20 é um bom exemplo. Enquanto a versão o Onix tem um sistema de baliza automática como opcional, o HB20 oferece um sistema de frenagem de emergência caso algum carro, pessoa ou objeto entre em seu caminho de repente. Para quem pega trânsito carregado todos os dias, com o famoso “anda e para”, a frenagem de emergência pode ser mais interessante, mas quem tem dificuldade ou não gosta de estacionar certamente vai aproveitar mais o sistema de baliza automático.

Outro item interessante para quem dirige em percursos de trânsito carregado é o sensor de ponto cego, que avisa caso um carro ou uma moto esteja fora do campo de visão do condutor. O recurso é interessante principalmente para quem está mudando agora de categoria para um carro mais robusto, mais largo, como SUVs e picapes e pode perder um pouco na referência. Outro item que segue a mesma lógica é o alerta de mudança de faixa com correção de percurso, que não faz muito sentido em carros pequenos.

Já para quem dirige longas distâncias pode ser interessante um carro com sensor de fadiga. Por meio de sensores que analisam a condução do motorista, o sistema é capaz de detectar quando ele está cansado demais para dirigir e sugerir uma parada. Outras opções são interessantes para quem faz muitos trechos off-road, como assistente de subida e descida de terrenos íngremes, o HDC (Hill Descent Control).

Terror da prova de trânsito

A baliza costuma ser a maior preocupação dos aspirantes a motoristas enquanto se preparam para a prova de trânsito. A versão simulada abre espaço para tantos “truques” que muitos nunca aprendem como executar a manobra de forma correta, por isso os facilitadores de estacionamento são tão populares.

Existem dois tipos de sistema de baliza automática ou “assistente de estacionamento”. Disponível em carros de luxo, o mais completo faz tudo pelo condutor, basta apertar um botão que o carro procura a vaga, aciona o volante e os pedais, o condutor apenas aciona a alavanca de câmbio (para drive ou ré) quando solicitado. O mais “simples”, oferecido até mesmo no Onix, também encontra a vaga e aciona o volante, mas o motorista precisa cuidar dos pedais, seguindo as informações que aparecem no painel.

Além da baliza automática, outra opção que está se popularizando é o sistema de câmera 360º, que usa a imagem de várias câmeras ao redor do carro para simular a imagem de um drone e exibir na tela da central multimídia. Assim, você consegue ver todo o seu entorno na hora de estacionar. Opção mais simples são os sensores de estacionamento traseiro e dianteiro, que já dão uma bela ajuda.

[canal]OPINIÃO[/canal]
[linhafina]Baliza automática, alerta de ponto cego, frenagem de emergência… Saiba no que vale a pena apostar[/linhafina]
[chapeu]ELA E OS CARROS[/chapeu]
[credito]Colunista do Carpress[/credito]
[/tags]

(2)

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *