Inicio Notícias Confira dez dicas para que o carro não estrague o seu final de ano

Confira dez dicas para que o carro não estrague o seu final de ano

Confira dez dicas para que o carro não estrague o seu final de ano
2
0


Congestionamentos em estradas paulistas são comuns sobretudo nos feriadões

Neste período aumenta o fluxo de turistas e, portanto, o de veículos de cidades, sobretudo no litoral. A seguir, vamos dar dez dicas, com ações para que você não tenha dor de cabeça na hora de pegar a estrada.

1) Estacione onde é permitido. Economia é o lema e você pretende estacionar na rua? Chegue cedo. As vagas rotativas de estacionamento, principalmente na quadra da praia, costumam ser bem disputadas.  Vale ter um plano B. Então não custa pesquisar endereços e preços de estacionamentos particulares nas proximidades. Viu uma vaga de idoso, pessoa com deficiência ou uma brecha na areia da praia? Nem pense em usá-la!

2) Pedestre em primeiro lugar. Não tem semáforo, mas tem faixa de pedestre? A regra é clara: pare! O pedestre tem preferência de travessia nessa situação. Se você vir um pedestre com o braço estendido e a palma da mão virada para seu veículo, é um clássico sinal que ele vai atravessar a via. Pare e permita que ele conclua a travessia. Antes de parar, no entanto, olhe se vem veículo atrás e em qual velocidade ele está para não frear bruscamente e causar um acidente. É importante que a luz de freio esteja funcionando bem.

3) Bebida combina com praia, nunca com direção. Praia é sinônimo de calor e muitos fazem uso de bebidas alcoólicas. No entanto, se estiver de carro essa combinação é proibida. A Lei Seca é conhecida pela tolerância zero. Isso significa que não existe quantidade de bebida alcoólica aceitável pela legislação, nem mesmo uma ou duas latinhas de cerveja. O álcool reduz os reflexos e a capacidade de reação do condutor e dirigir exige máxima atenção. Eleja um amigo que não vai ingerir álcool para dirigir na volta. Caso insista em beber. Saiba que se trata de uma infração gravíssima, levando sete pontos na CNH, mais multa de R$ 2.934,70 e suspensão do direito de dirigir por 12 meses. No caso de reincidência a multa é aplicada em dobro, ou seja, R$ 5.869,40. A recusa em soprar o bafômetro provoca a mesma punição.

4) Preste atenção durante a condução. Paisagens de praia sempre chamam a atenção, mas nada de desviar o olhar enquanto dirige. Um segundo de distração pode ser suficiente para se envolver em um acidente. Mantenha as duas mãos no volante, o olhar voltado para a frente e nos espelhos retrovisores. Resista à vontade de tirar aquela foto ou fazer um vídeo da paisagem dirigindo. Pare um local seguro, se houver.

5) Bike é bem-vinda. Andar de bicicleta pela orla da praia é uma atividade relaxante. No entanto, a circulação deve ser feita sempre nas ciclovias, nunca nas calçadas, para não colocar em risco os pedestres. Quando não houver ciclovia, ciclofaixa ou acostamento, o ciclista deve andar nos bordos (cantos) da pista de rolamento, no mesmo sentido de circulação regulamentado para a via. São equipamentos obrigatórios de segurança na bicicleta campainha, sinalização noturna dianteira, traseira, lateral e nos pedais, bem como espelho retrovisor do lado esquerdo. O capacete também é item fundamental. Ciclistas têm preferência sobre os veículos automotores.

6) Capacete, é claro, sempre com viseira fechada.Motociclistas costumam reclamar do capacete no verão. Mas o calor não deve ser motivo para andar sem o equipamento ou com a viseira levantada, ainda que parcialmente, porque o item protege a visão contra pedras e insetos, por exemplo, que podem atingir os olhos do motociclista. As mesmas regras valem para os passageiros das motos. Crianças com menos de sete anos ou que não tenham condições de se cuidar não podem ser transportadas em motos.

7) Chinelo só fora do veículo. O clima praiano é um convite para dar um descanso aos pés, dispensando tênis e sapatos. Mas, se for dirigir, nada de usar calçados que não se firmem nos pés ou que comprometam a utilização dos pedais. Entre os exemplos estão chinelos, sandálias, tamancos e sapatos de salto. Nessa situação, o melhor é dirigir descalço.

8) Cinto de segurança sempre, mesmo na praia. O cinto de segurança é um item indispensável para a segurança do motorista – e de todos os passageiros, inclusive para quem viaja no banco traseiro. O condutor não deve se aproveitar do engarrafamento ou  do sinal vermelho na praia para tirar o cinto de segurança. No automóvel o motorista pode dirigir sem camisa, mas nunca sem cinto.

9) Pedestre é dono do pedaço. O pedestre tem preferência, mas deve atravessar na faixa destinada a isso, sempre que houver. Ainda assim, é importante verificar se o motorista do veículo que se aproxima enxergou você. O contato visual é importante para evitar acidentes. Sinalizar antecipadamente a intenção de atravessar contribui para um trânsito mais seguro, pois o motorista pode se programar para frear e dar a passagem. Indique a travessia estendendo o braço com a palma da mão virada para o motorista, espere o condutor parar e só então prossiga. Onde houver semáforo, o pedestre só deve atravessar quando o sinal ficar vermelho para os veículos. Mas atenção: quando há semáforos de pedestre, nunca atravesse

10) Entre as chuvas, as de verão são as mais traiçoeiras. Verão tem muito sol, mas também traz as famosas chuvas de verão. Nessa situação, é indispensável ligar o limpador de para-brisa e ajustar a velocidade de acordo com a intensidade da chuva. Manter a distância, já que a pista tende a ficar escorregadia, ligar o farol baixo e desembaçar os vidros são também importantes.
Fontes: Detran.SP e da Redação

[canal]REPORTAGEM[/canal]
[linhafina]A ordem de quem protege quem é ônibus, carro, moto e pedestre[/linhafina]
[chapeu]SERVIÇO[/chapeu]
[credito]Publisher e editor-chefe do Carpress[/credito]
[/tags]

(2)

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *